sábado, 24 de janeiro de 2009

o regresso

finalmente arranjei um trabalhinho em lisboa. já aqui tinha falado do desejo de arranjar um emprego e assim. preciso de um, é verdade. preciso ganhar dinheiro, que isto já não está sustentável. preciso de dinheiro para mim, de dinheiro para pagar a casa, dinheiro para as minhas coisas.

domingo lá vou eu, de regresso ao mundo real.

no entanto, vou triste. portalegre "faz-me mal". vou triste porque vou ter saudades do que encontrei aquando do meu regresso em novembro. das pessoas, dos sítios, das conversas até de madrugada, de jogar à moeda, dos segredos, dos sorrisos, das parvoíces. até de "levar porrada" e levar banho do P., e das suas conversas completamente psicóticas.

vou ter muitas saudades dos sorrisos, dos olhares cúmplices, de coisas que só eu sei.

é um mal necessário, no entanto. e ao mesmo tempo que vou triste, não deixo de sentir que agora é que é.

entro no carro para ir para casa, depois de uma noite a "trabalhar", a ajudar no sítio do costume. o ipod começa a tocar e, imediatamente aparecem na minha cabeça as imagens das minhas duas últimas noites. os meninos, a música, mais olhares e mais sorrisos.

ao menos não posso dizer que não vou com boas recordações.

6 comentários:

disse...

Parabéns pelo trabalhinho!
E o que fica para trás nunca se perde totalmente..nem que seja mesmo sob a forma de recordações.

Madame Butterfly disse...

Boa sorte para a nova etapa! Espero que não desistas do blog, já me comecei a habituar às tuas palavras;)

Madeline disse...

Há uma canção do António Variações que podia ser assim a canção da tua vida... não sei se me entendes! :P

P. disse...

obrigada a todas :)

e não sei se estou a ver, não. antónio variações não é muito a minha cena :P

Madeline disse...

Estou bem aonde não estou, porque eu só quero ir aonde não vou...

P. disse...

aaaaah! epá, já não lembrava. lamento :P