quinta-feira, 13 de maio de 2010



quando queremos não perder a importância que temos para algumas pessoas, será que isso fica só na nossa cabeça?
continuamos a agir como se fosse tudo como sempre foi, na esperança de que as coisas se mantenham, mas será que isso acontece mesmo? ilusão, i guess.
não queremos magoar e magoamos. não queremos ser magoadas, mas somos. não queremos mudar (não queremos mesmo?) mas mudamos. não queremos ouvir, mas ouvimos.
queremos estar bem, mas e se, para isso, alguém fica mal? e se, para não deixarmos alguém ficar mal, acabamos nós por deixar a vida passar?

é inevitável? o ponto de ruptura tem de chegar sempre? hope not.

*redomas para protecção de tudo e todos, alguém tem?

2 comentários:

Madame Butterfly disse...

Uma redoma dessas é que eu queria. Acho que não há a resposta/solução perfeita para o que pretendes. A vida anda para a frente, nós mudamos, os outros mudam e no limte, já aprendi a escolher a minha felicidade em vez da dos outros. Egoísta? Talvez? Mas é assim que sobrevivo.

Martha disse...

Ola :)
Nem te conheço...mas vim dar com teu blog. E identifiquei-me bastante com este post.
De facto, ando tambem a procurar essa bolha...onde me posso enfiar e ficar lá dentro a observar o que está cá fora.
Todos me dizem que a vida anda para a frente, e eu ouço, e até consigo visualizar isso...mas infelizmente ainda nao o consigo concretizar. Julgo sim que criamos uma ilusao na nossa cabeça a pensar que as coisas vao voltar a ser como eram...que se nos mantermos intactas e iguais, as mesmas coisas do passado irao vir até nos. Mas sabes... nao vêm. Porque a mudança é a vida a dizer-te que existem outras coisas que afinal é melhores ires conhecer tambem... Afinal nao é agora, no aqui, que irás encontrar a tua maior felicidade.

Triste? Talvez. Lembro-me quando era miuda...pensava que tudo ia ser diferente quanto tivesse a idade que tenho hoje (24). Pensava mesmo que ia ser tudo muito mais "facil" e conto de fadas. Afinal parece que nao... A vida tras-nos desilusões, e com elas aprendemos, e temos de aprender a ir para afrente com a aprendizagem que tiramos de todos estes momentos, bons e maus.
Acaba por nem fazer grande sentido...quando que te perguntas "mas porque vivi isto afinal? para que? se agora mo tiram...".

Ainda nao sei a resposta...
Mas julgo que seja esta: Temos de viver o bom e o mau, e perder o bom e o mal, para sabermos apreciar a vida. E principalmente, para aprendermos a apreciar-nos a nós próprias.

Um beijinho,
Espero que possamos trocar comments :)

www.asminhasmaosnomundo.blogspot.com