terça-feira, 1 de maio de 2012

sim, é 1 de maio, dia do trabalhador, yadda yadda yadda..
por acaso, até nem estou a trabalhar, mas podia estar. e iria receber mais por isso? no meu caso, não, não iria receber mais por isso.
toda esta loucura que, aparentemente, se gerou à volta de as pessoas irem trabalhar ou não neste dia.. enfim. que devia ser obrigatório ter o direito ao feriado, tal e tal, é giro, sim. e até respeito. mas as pessoas que querem ficar em casa a descansar, ficam em casa sem ver tv? sim, porque para termos televisão, tem de estar alguém a trabalhar do outro lado. ah, não, vamos sair de casa e vamos ao cinema. e as pessoas que trabalham no cinema, também não têm direito a ter o feriado? ah, vamos só lanchar fora. e as pessoas que trabalham nos cafés e afins, também não deviam estar em casa?
do lado do meu, que não me importava nada de estar a trabalhar hoje (se preferia não estar? claro que sim. mas se tivesse de ser, coiso..), é como com a suposta ponte do carnaval. toda a gente se queixa da crise, mas depois se não dão um feriado, uma ponte, é o fim do mundo em cuecas.

3 comentários:

Mnemósine disse...

Cafés, centros comerciais, hospitais, farmácias, policia, bombeiros, transportes públicos, etc etc.

Há uma certa alergia ao trabalho mas pouco respeito por quem nos serve onde quer que vamos.

P. disse...

relativamente ao respeito ou falta dele, não podia concordar mais contigo. nada, mas nada mesmo, justifica a tranformação de pessoas em seres irracionais, que se estão pouco marimbando para quem trabalha em atendimento ao público, e similares.

Madeline disse...

Gosto particularmente da parte do fim do mundo em cuecas.