sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

premonições

acredito que as tenho. não, não sou bruxa, nem vidente, muito menos mãe de santo. mas acredito em premonições.

a ver:

- no último ano (que não foi propriamente fantástico a nível pessoal), cada vez que sonhava com determinada pessoa, no dia seguinte recebia uma mensagem de telemóvel, ou um email, ou um telefonema, onde determinada pessoa dava sinal de vida. chegou até a acontecer que, depois de sonhar que essa mesma determinada pessoa me ia ligar porque tinha acabado de ler uma coisa que lhe tinha mandado, acordei (eram umas 4 e tal da manhã) e, passados 5 minutos, determinada pessoa ligou-me a dizer que tinha acabado de ler o que eu lhe tinha mandado por correio.

- no último ano, cada vez que acordava a meio da noite com insónias, era como se estivesse a prever que o telemóvel ia tocar, ou que ia receber mensagens. acontecia sempre, sempre, sempre.

- já este ano, sonhei com alguém que já não via há algum tempo. no dia a seguir, recebi mensagem a dar sinal de vida.

cheguei a ter medos-muitos-medos destas coisas que me aconteciam. ficava com o coração quase a saltar de dentro de mim, como se estivesse prestes a ter um qualquer ataque cardíaco. ou só de pânico, vá (não quero exagerar).
mas depois habituei-me. chegou a uma altura em que, durante as noites de insónias, agarrava no telemóvel por sistema, já à espera que tocasse. e o coração deixou de bater forte, para passar a bater normalmente.

ultimamente não tenho tido muitas, nem nada que se pareça. acho que isso me acontece mais quando a mente anda inquieta com qualquer coisa, quando o coração está prestes a rebentar.
e ainda bem que não tenho tido, que depois, durante o dia, andava sempre com a sensação mais estranha do mundo cá dentro.
cabeça descansada = premonições arrecadadas.

(*após ler a madame butterfly)

2 comentários:

Madeline disse...

Esse "a ver" é para ser lido em Castelhano? :D

P. disse...

pues que si! :D